Mark Cavendish vence em Paris, na consagração de Bradley Wiggins

 

 

 

O ciclista Mark Cavendish (Sky) venceu hoje ao “sprint” a 20.ª e última etapa da Volta à França, que marcou a consagração do britânico Bradley Wiggins (Sky), como vencedor da “Grande Boucle”, nos Campos Elísios, em Paris.

No seu terceiro triunfo nesta edição do Tour, o campeão do Mundo cumpriu os 120 quilómetros entre Rambouillet e Paris em 3:08.07 horas, à média de 38,3 km/hora, superando o eslovaco Peter Sagan (Liquigas) e o australiano Matthew Goss (Orica).

Na classificação final, Bradley Wiggins, o primeiro inglês a vencer o Tour em 99 edições, deixou o compatriota e colega de equipa Chris Froome a 3.21 minutos e o italiano Vicenzo Nibali (Liquigas) a 6.19.

Rui Costa (Movistar), que chegou a estar em fuga já no circuito parisiense, concluiu o Tour na 18.ª posição, a 37.03 minutos de Wiggins, depois de ter concluído a derradeira tirada integrado no pelotão, tal como Sérgio Paulinho (Saxo Bank).

Tour: Sanchez nega vitória a Sagan

 

 

Luis Leon Sanchez foi o grande vencedor da 14ª etapa da Volta a França. O ciclista da Rabobank garante assim a quarta vitoria em etapas no Tour num dia que viu o português Sérgio Paulinho a integrar a fuga e a cortar a meta em sexto lugar. Bradley Wiggins segue de amarelo.

O português Sérgio Paulinho (Saxo Bank) integrou a fuga do dia composta por 11 elementos, incluindo Luis Leon Sanchez, que chegou a ter mais de 17 minutos de vantagem em relação ao pelotão, vantagem essa que se manteve virtualmente constante mesmo durante as duas subidas de primeira categoria do dia.

Sandy Casar(Francaise des Jeux), outro dos fugitivos, foi o primeiro a passar na frente no alto da segunda contagem de primeira categoria, o Mur de Pèguère, a cerca de 40kms da meta.

Já na descida o francês decidiu tentar a sua sorte e teve a companhia de outros 4 ciclistas : o camisola verde, Peter Sagan (Liquigás). Luis Leon Sanchez (Rabobank), Gorka Izaguirre (Euskatel Euskadi) e Phillipe Gilbert (BMC).

Lá atrás o pelotão seguia a um ritmo tranquilo quando, subitamente, Cadel Evans vê o azar bater-lhe à porta. O australiano sofreu um furo e nem o carro de apoio neutro nem o carro da equipa estavam lá para auxiliar o chefe de fila da BMC.

Mas a Sky, numa atitude de fair-play dá indicações para o pelotão aguardar por Evans, ele que viria a furar por mais duas ocasiões e que apenas conseguiu reentrar no grupo dos favoritos, na descida, dentro dos derradeiros 20kms.

O camisola amarela Bradley Wiggins (Sky) também sofreu um furo, bem como Michelle Scarponi (Lampre). Uma situação que poderá ter sido originada pela colocação de pionés na estrada.

A cerca de 11kms da meta Luis Leon Sanchez lança o ataque que viria a garantir-lhe a vitória. Ninguém respondeu ao espanhol que a 10kms da meta já tinha cerca de 26 segundos de vantagem para o quarteto de Sagan. Depois de quase 170kms escapado e 10kms de contrarrelógio individual, Sanchez cortou a meta isolado em Foix.

Peter Sagan foi o mais forte entre o quarteto perseguidor e fez segundo, 47 segundos depois de Sanchez.

Sérgio Paulinho terminou na sexta-posição a dois minutos e 51. Uma grande prestação por parte do ciclista português da Saxo Bank.

O pelotão, incluindo o camisola amarela e Cadel Evans cortaram a meta com mais de 18 minutos de atraso para o vencedor.

Nas contas da geral, Bradley Wiggins segue de amarelo.

 

Tour: terceira vitória de Greipel, Wiggins

 

 

O ciclista alemão André Greipel, da Lotto, venceu pela terceira vez uma etapa na atual edição da Volta a França, cortando a meta em Châteaux a Le Cap dAdge ao «sprint», com o camisola amarela Bradley Wiggins a terminar com o mesmo tempo e a reforçar a sua liderança na geral. O ciclista português Rui Costa também chegou integrado no grupo da frente e subiu um lugar na classificação, para o 19º lugar, a 19.02 minutos de Wiggins.
Uma etapa dura, com 217 quilómetros, em montanha, com destaque para a subida no Mont Saint-Clair, com o vento forte, que provocou mais uns cortes no já desfragmentado pelotão. Rui Costa manteve-se firme junto ao camisola amarela e acabou por reforçar a sua posição entre os vinte primeiros. André Greipel, a uma velocidade média de 43,7 km/h, cortou a meta com o tempo de 4:57.59 horas.
Este domingo, na 14ª etapa, entre Limoux e Foix (191 km), os ciclistas vão fazer uma primeira abordagem aos Pirinéus, com duas montanhas de primeira categoria e mais uma de segunda.

Tour: Peter Sagan vence 6.ª etapa ao sprint

Peter Sagan (Liquigas) conquistou esta sexta-feira a 6.ª etapa no Tour’2012, a terceira no seu ano de estreia na prova francesa, depois de ter sido o mais forte ao sprint na chegada a Nice.

O ciclista eslovaco superou na reta da meta o alemão Andre Greipel (Lotto), que havia vencido as duas últimas etapas, e o australiano Matthew Goss (GreenEdge), 2.º e 3.º classificado, respetivamente.

O suíço Fabian Cancellara (RadioShack Nissa-Trek) continua a vestir de amarelo.

Já o português Rui Costa (Movistar) chegou integrado no pelotão (58.º) e subiu ao 20.º lugar da geral, estando apenas a 42 segundos da camisola amarela.

Sérgio Paulinho (Saxo Bank) foi o 84.º a cortar a meta, a 2,09 minutos de Sagan, sendo agora o 100.º classificado.

Destaque pela negativa para as quedas de ciclistas com aspirações à classificação geral, como Michele Scarponi (Lampre), Frank Schleck (RadioShack Nissa-Trek), Ryder Hesjedal (Garmin), Robert Gesink (Rabobank) e Alejando Valverde (líder da equipa de Rui Costa), que perderam bastante tempo no dia de hoje.

 

Tour: Greipel bisa

 

Segunda vitória consecutiva para o alemão Andre Greipel na presente edição da Volta a França. O corredor da Lotto superiorizou-se esta tarde ao «sprint» a forte concorrência, após 196,5 quilómetros entre Rouen e Saint Quentin.

Greipel, desta feita, enfrentou a concorrência do britânico Mark Cavendish, vítima de queda na véspera por isso de fora da discussão pela vitória na etapa, mas o atual campeão do Mundo não foi além do quarto lugar. O australiano Matt Goss foi segundo e o argentino Juan José Haedo terceiro, todos com o mesmo tempo que o vencedor.

A chegada a Saint Quentin ficou novamente marcada por queda coletiva, a cerca de três quilómetros da meta, mas que não viria a provocar grandes alterações em termos da classificação geral.

Como tal, o suíço Fabian Cancellara (RadioShack) mantém a camisola liderança, símbolo da liderança.

Tour: Primeira para Greipel

 

O ciclista alemão Andre Greipel (Lotto) venceu hoje ao «sprint» a quarta etapa da Volta a França, que ligou Abbeville e Rouen, com o suíço Fabian Cancellara (RadioShack) a manter-se na liderança.

No final dos 214,5 quilómetros, Greipel foi o mais forte de um pequeno grupo de ciclistas que discutiram a vitória, depois de uma queda ter cortado o pelotão já dentro dos três quilómetros finais, terminando a etapa em 5:18,32 horas, numa média 40,4 km/h.

Os dois portugueses, Rui Costa (Movistar) e Sérgio Paulinho (Saxo Bank), terminaram a etapa com o mesmo tempo do vencedor, tal como todos os ciclistas que integravam o pelotão à entrada para os últimos três quilómetros.

Tour: Peter Sagan «bisa»

O eslovaco Peter Sagan, da Liquigas, conquistou esta terça-feira, em Boulogne-sur-Mer, a terceira etapa do Tour’2012, depois de arrasar toda a concorrência numa chegada complicada, antecedida de algumas contagens de montanha.

Sagan, que havia conquistado a etapa do dia anterior, também com grande autoridade, voltou a estar em evidência, resistindo às cinco contagens de montanha da tirada (duas de terceira categoria, três de terceira), batendo a 100 metros da meta o escapado Philippe Gilbert. O final desta etapa ficou ainda marcado pela violenta queda provocada por um ciclista da Katusha (que acabaria por escapar…), situação que deixou alguns favoritos para trás.

Contudo, apesar desse atraso, a organização deverá fazer acertos em face desta situação. Por outro lado, quem perdeu mesmo tempo na classificação foi Denis Menchov. O russo, de 34 anos, ficou sem forças na fase terminal da etapa e acabou longe da frente, a 1.18 minutos.

Quanto aos portugueses, Rui Costa chegou em 46.º, com o mesmo tempo do grupo dos favoritos, a um segundo de Sagan.