Tour: Pinot vence 8.ª etapa e Rui Costa subiu ao 12.º lugar da geral

 

 

O francês Thibaut Pinot (FDJ-Big Mat) conquistou este domingo a 8.ª etapa do Tour’2012, depois de ter chegado isolado à meta instalada em Porrentruy, na Suíça, oferecendo a primeira vitória à França na prova deste ano.

O grupo onde estavam os principais candidatos à geral chegou a 26 segundos do vencedor da tirada, com Cadel Evans (BMC) a ser segundo e o francês Tony Gallopin (RadioShack Nissan-Trek) a ser terceiro.

O britânico Bradley Wiggins (Sky) manteve a camisola amarela com os 10 segundos de vantagem sobre Evans.

O português Rui Costa (Movistar), que esteve em fuga no início da etapa, subiu ao 12.º posto da geral, a 3,24 da amarela, depois de ter sido 19.º na tirada, a 1,25 do vencedor.

Tour: Cancellara regressou em grande para vestir amarelo

Fabian Cancellara cilindrou toda a concorrência no prólogo do Tour, deixando Wiggins, segundo o mais de sete segundos de diferença, muito para uma prova tão curta, perante uma assistência calculada em 300 mil pessoas, que faz jus ao prestígio da prova e  ao entusiasmo pelo ciclismo na Bélgica.

Fabian Cancellara (RadioShack-Nissan) venceu pela quarta vez um prólogo do Tour (2004, 2007, 2010, 2012) regressando aos grandes triunfos, numa especialidade na qual foi durante alguns anos líder.

Bradley Wiggins  ia ultrapassando todas as expectativas, quando no ponto intermédio do prólogo de Liége tinha seis segundos de atraso sobre Sylvain Chavanel, recuperando os seis segundos e mais alguma centésimas na parte final da C/RI.

Chavanel fêz jus ao título de campeão francês de C/RI e esteve no comando da prova durante largo tempo, obtendo uma marca de grande valor, que o catalogam como um ciclista a ter em ,linha de conta para o futuro.

Azar teve Tony Martin, furou o que lhe retirou qualquer hipóteses de discutir a corrida, enquanto Peter Sagan, outro dos favoritos ao entrar mal numa curva, perdeu tempo considerável.

Dos ciclistas considerados favoritos à partida, Denis Menchov no oitavo lugar, a 13 segundos foi o  segundo melhor posicionado, o melhor foi Wiggins  os únicos que conseguiram um lugar nos dez primeiros do prólogo.

Com este triunfo, a Radioshack entrou com o pé direito no Tour e poderá conservar a túnica de guia, por mais algumas etapas, dada a ausência de bonificações, que caracterizava a habitual mudança de camisola amarela entre sprinters na primeira semana do Tour..

Vitima de uma queda no Tour de Flandres, Cancellara hipotecou toda a temporada das clássicas, regressando em grande, e dando novo alento a uma equipa a atravessar um momento difícil.

O público, esse, compareceu em grande número, animando de novo a caravana do Tour, depois de na passada quinta feira não ter entusiasmado a organização da prova.

Rui Costa e Sérgio Paulinho fizeram tempos semelhantes, a cerca de 24 segundos do vencedor, o que se pode considerar positivo dadas as características da prova., estando ambos incluídos no top 60.

Dos favoritos, Cadel Evans perdeu 17 segundos para Cancellara, Samuel Sanchez 33 segundos, Alejandro Valverde 28 segundos, Gesink perdeu 18 segundos.

Classificação:

1 Fabian CANCELLARA RNT 7:13
2 Bradley WIGGINS SKY 7
3 Sylvain CHAVANEL OPQ 7
4 Tejay VAN GARDEREN BMC 10
5 Edvald BOASSON HAGEN SKY 11
6 Brett LANCASTER OGE 11
7 Patrick GRETSCH ARG 12
8 Denis MENCHOV KAT 13
9 Philippe GILBERT BMC 13
10 Andriy GRIVKO AST 15